Aviação: Saiba porque a cabine de passageiros das aeronaves é tão fria

Ao se preparar para uma viagem de avião, passageiros experientes não abrem mão de levar um agasalho extra para as horas de voo. As cabines das aeronaves são conhecidas pelas baixas temperaturas, mas por que elas precisam ser tão frias?

“Basicamente, é uma questão de puro conforto térmico”, explica o médico credenciado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Aeroespacial, Dr. Marco Antonio Ribeiro Cantero. “As temperaturas são reguladas para ficarem, normalmente, entre 20° e 22°, um padrão mundial para gerar comodidade à maior parte dos passageiros durante a viagem”, acrescenta o médico. Diante dessa constatação, do ponto de vista operacional é mais prático que alguns passageiros friorentos se aqueçam com um agasalho ou manta do que fazer com que uma grande quantidade de pessoas calorentas se refresquem individualmente.

E se não houvesse ar condicionado?
Durante um voo, a temperatura externa pode chegar a -50° (é 50 graus negativos, viu) . As aeronaves têm uma camada espessa de mantas térmicas entre a parte externa da fuselagem e o revestimento da cabine de passageiros para isolar essas baixas temperaturas do lado de fora. Além disso, o sistema de pressurização da aeronave se aproveita de ar comprimido pelos motores para criar uma atmosfera semelhante àquela que as pessoas estão acostumadas em solo. Com o processo de compressão, o ar que é injetado na cabine de passageiros ganha energia e também acaba se aquecendo. E isso é pura física (para ajudar a entender, pense no contrário: quando acionamos um extintor de ar comprimido, o conteúdo que sai e se expande perde energia rapidamente, o que faz com que o bico do equipamento fique muito gelado). Por fim, em um avião com muitos passageiros a bordo a próprias pessoas funcionam como fontes de calor com a respiração e o processo de conservação da temperatura corporal (homeostase, ou manutenção de uma temperatura interna constante para permitir os processos biológicos, que nos humanos é de 36,5ºC).

Por causa desses fatores, se nada fosse feito, o interior da cabine de passageiros tenderia a ser naturalmente quente. Com o sistema de ar-condicionado, a temperatura interna pode ser controlada para níveis mais agradáveis. “Mas tudo se trata de uma percepção individual do que é uma temperatura agradável”, comenta o Dr. Cantero.

Por abear,com.br