Em 14 de agosto comemoramos o Dia do Cardiologista: Aquela pessoa que cuida do seu coração

dia do cardiologista

Sabe aquela pessoa que te ouve com atenção? Que se preocupa em saber como você se sente? Que quer saber detalhes do seu dia a dia? Que sabe tudo sobre o seu coração? Aquela pessoa que cuida de você. Pois é… 14 de agosto é o Dia Nacional do Cardiologista.

O médico especializado em cardiologia se ocupa do diagnóstico, acompanhamento e tratamento de doenças que atingem o coração e outras partes do sistema circulatório. De acordo com dados do Ministério da Saúde, quase 30% de todas as mortes registradas no Brasil são em decorrência de doenças cardiovasculares, como a hipertensão, que atinge mais de 30 milhões de brasileiros.

Parte dessas doenças não tem cura. Mas podem ser tratadas ou até mesmo evitadas. Somente o médico poderá determinar o melhor método para cada paciente, mas além dos medicamentos disponíveis atualmente, é imprescindível adotar um estilo de vida saudável.

8 dicas para cuidar do coração:

  • Manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares;
  • Não abusar do sal, utilizando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos;
  • Praticar atividade física regular;
  • Aproveitar momentos de lazer;
  • Abandonar o fumo;
  • Moderar o consumo de álcool;
  • Evitar alimentos gordurosos;
  • Controlar o diabetes.

Controle preventivo

A atenção básica e as equipes de saúde da família podem te ajudar a cuidar do coração. A ideia principal é a de que os pacientes tenham um acompanhamento de questões cardíacas (especialmente a hipertensão), fazendo o controle preventivo para evitar complicações. “As equipes de atenção básica estão preparadas para fazer o atendimento e o acompanhamento de todas as doenças crônicas, incluindo hipertensão e outras doenças cardíacas. Então, a equipe multiprofissional que tem na unidade básica faz esse atendimento e os agentes comunitários de saúde fazem o acompanhamento no domicílio”, explica a técnica do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Graziela Tavares.

Todo paciente que chega à atenção básica tem a pressão arterial aferida. “Quando mais de três medições apresentam alteração, é agendada uma consulta para esse paciente e são realizados alguns exames laboratoriais. Os resultados, o exame clínico e outros dados, como histórico familiar, vão balizar o médico para fechar ao diagnóstico. Quando necessário, encaminha-se o paciente para a média complexidade com o cardiologista”, diz Tavares.

Em várias regiões do país, grupos de pessoas com hipertensão, diabetes e outras doenças crônicas não transmissíveis se reúnem justamente para prevenir essas doenças, além de fazer o acompanhamento do uso racional de medicamentos e o cuidado dessas pessoas.

 Atividade Física: quem se exercita tem benefícios importantes para a saúde

Consultas programadas

Os pacientes têm consultas programadas dentro dos protocolos de atenção à saúde. “Pensando na gravidade, no atendimento quando há alguma questão aguda relacionada a doenças cardíacas, esses protocolos detalham qual é a melhor forma de encaminhar esse paciente e dar continuidade a esse atendimento”, detalha Tavares.

Após a consulta com o cardiologista, o paciente volta para a atenção básica para a continuidade do atendimento. Periodicamente, o paciente pode retornar ao cardiologista para acompanhar o quadro.

Produzido por Luiz Philipe Leite, para o Blog da Saúde.