Ambiente, genética, nutrição e manejo impulsionam produtividade vegetal

Foto

Serviço: TECNOSHOW COMIGO 2019 – Rio Verde/Goiás (de 08 a 12 de abril)

Geração e Difusão de Tecnologias Agropecuárias, Exposição de Máquinas e Equipamentos, Palestras, Exposição de Animais e Dinâmicas de Pecuária. 

Palestra pretende orientar público da feira sobre a importância da avaliação correta da fertilidade do solo

Ambiente, genética, nutrição e manejo são os principais fatores impulsionadores da produtividade vegetal. A nutrição, por exemplo, se constitui num dos principais sustentáculos da planta para a síntese de substâncias essenciais relacionadas ao desencadeamento de suas funções vitais, com consequente reflexo em seu desempenho e produtividade. No dia 9 de abril, às 9h30, no auditório 1 do Centro Tecnológico Comigo (CTC), o engenheiro agrônomo Antônio Luiz Fancelli vai abordar esses assuntos na palestra ‘Fertilidade e nutrição para altas produtividades’. O tema faz parte da programação da Tecnoshow Comigo 2019, que será realizada de 8 a 12 de abril, em Rio Verde (GO). 
De acordo com ele, na feira a intenção é orientar o público sobre a importância da avaliação correta da fertilidade do solo; os critérios adequados para a interpretação dos boletins de análise e a construção do perfil do solo. “Serão também discutidos aspectos básicos de nutrição fisiológica e dos momentos, como estádios fenológicos, e localização e posicionamentos corretos dos nutrientes visando altas produtividades, além dos perigos inerentes ao uso de adubação fosfatada à lanço”, explica. 
ImportânciaAntônio Luiz Fancelli orienta que se o solo onde a planta estiver se desenvolvendo não possuir os nutrientes necessários em quantidade, disponibilidade e equilíbrio, deverá ser submetido à correção e a fertilização adequadas visando a correção de suas limitações. “A determinação da quantidade e do tipo de corretivos e de fertilizantes necessários, para tal objetivo, deverá ser fundamentada na avaliação criteriosa dos resultados apresentados no boletim de análise do solo. Os boletins necessitam representar efetivamente a fertilidade do solo, em diferentes profundidades e, para tanto, precisam ser resultantes de amostragens criteriosas, que deverão ser submetidas a laboratórios gabaritados e idôneos”, informa. 
Ele acrescenta que plantas bem nutridas, ou seja, sem nenhum indício de deficiência de nutrientes essenciais ao seu metabolismo e ao seu ciclo vital, apresentam a condição mínima para o aproveitamento dos fatores básicos de produção, bem como para tolerar situações de estresse, culminando na possibilidade da obtenção da alta produtividade.
ErrosO palestrante afirma que os principais erros cometidos pelos produtores no contexto da nutrição de plantas correspondem ao uso de calcário e de gesso sem critérios adequados; a criação de camadas superficiais de solo com saturação por bases (V%) elevada (>75%) sem critério definido, aliadas à presença de camadas profundas com V% baixo; o uso de recomendações padronizadas de adubação sem considerar os resultados dos boletins de análise de solo, assim como o uso de quantidades elevadas de fertilizantes, aliado a fórmulas inadequadas e desequilibradas. “É importante ficar atento ainda ao uso indiscriminado de fertilizantes e corretivos à lanço e na valorização excessiva do rendimento operacional em detrimento da sustentabilidade e da eficiência do sistema de produção”, enfatiza. 
Novas tecnologiasFancelli revela que a agricultura, nos últimos anos, passou por profundas transformações impulsionada pelo uso efetivo dos fundamentos de fisiologia, de conceitos modernos de nutrição e de estratégias de manejo fundamentadas no enfoque sistêmico ou holístico. “Todavia, com relação à avaliação da fertilidade do solo visando a alta produtividade, muitas tecnologias foram desenvolvidas para esse fim. Tais tecnologias e métodos recentes envolvem o aperfeiçoamento dos equipamentos de amostragens, considerando as peculiaridades de cada tipo de solo, bem como permitindo amostragens seguras em diferentes profundidades, além do fortalecimento do conceito de manejo químico e físico do solo fundamentado em Ambientes de Manejo, substituindo a taxa variável de distribuição de corretivos e de fertilizantes”, cita. 
O engenheiro agrônomo explica também que está sendo aperfeiçoado o uso de técnicas de sensoriamento remoto visando eliminar a necessidade de trabalho extensivo. “E neste aspecto destacam-se o uso de drones ou Vants munidos de equipamentos de NDVI, processamento de fotos de satélites relacionado à avaliação do estado nutricional da lavoura, sensores ópticos de natureza diversa; principalmente para monitoramento da necessidade de nitrogênio, robôs com a capacidade de avaliar alguns aspectos da fertilidade de solo mediante a emissão de luz oriunda de átomos em um plasma para analisar solos. Tal robô, em fase final de desenvolvimento, é baseado na tecnologia LIBS, ou seja, Espectroscopia de Emissão Óptica em Plasma Induzido por Laser, e foi criado pela Embrapa e UFSCar”. Por fim, Antônio afirma que merece destaque o método rápido para a avaliação do teor de potássio nas folhas de soja, em condições de campo, desenvolvido pela Embrapa. “O referido método dispensa o uso de técnicas laboratoriais para a diagnose foliar (método padrão), facilitando a correção imediata do problema”.
Antônio Luiz Fancelli é engenheiro agrônomo formado pela Esalq/USP, com mestrado em Fitotecnia pela Universidade de São Paulo, e doutorado em Solos e Nutrição de Plantas também pela Universidade de São Paulo. Atua nas áreas de Fitotecnia, Sistemas de Produção e Fisiologia da Produção de Soja, Milho e Feijão. É membro fundador do Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB) e atualmente, CEO da empresa Fancelli & Associados.


Sobre a TECNOSHOW COMIGO

Há 18 anos nasceu o conceito da feira de tecnologia rural, que logo passou a ser um referencial em todo o Centro-Oeste. A cada edição, a feira, hoje denominada Tecnoshow Comigo, não só apresenta experiências tecnológicas realizadas por diversas instituições de pesquisa, de ensino e outras empresas que auxiliam o produtor rural, mas reúne expositores de grandes segmentos do setor agropecuário, em uma área montada em 60 hectares com completa infraestrutura.

Mais informações em www.tecnoshowcomigo.com.br.

FICHA TÉCNICA18ª TECNOSHOW COMIGO

Data: 08 a 12 de abril de 2019 (segunda a sexta-feira)Local: Centro Tecnológico COMIGO (CTC) – Rio Verde – GO (Anel Viário Paulo Campos, Km 7, Zona Rural)Horário: 8 às 18 horas

Serviço: Geração e Difusão de Tecnologias Agropecuárias, Exposição de Máquinas e Equipamentos, Palestras, Exposição de Animais e Dinâmicas de Pecuária. 

Site: www.tecnoshowcomigo.com.br 
INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Assessoria de Comunicação da COMIGO

Wêuller Freitas – (64) 3611-1522 / 99627-9897Bruno Kamogawa – (64) 3611-1690 / 99282-2213
Voltz Comunicação – Assessoria de imprensa da TECNOSHOW COMIGOjornalismo@voltzcomunicacao.com.brRenan Rigo – (62) 98522-6645 – renan@voltzcomunicacao.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.